• Langue

O que levar em consideração na hora de fazer um orçamento para o serviço de revisão?

O primeiro contato com o cliente já foi estabelecido, vocês provavelmente trocaram informações sobre o material, talvez até tenham falado em prazos e acertado alguns detalhes. Agora, chegou a vez de enviar o orçamento e você está se perguntando: COMO FAZER?



Calma, nós separamos algumas dicas para te ajudar nessa empreitada.


Antes de prestar qualquer serviço é preciso fazer um levantamento de algumas informações, elas irão te auxiliar durante o processo de estabelecer quais métricas você irá adotar para embutir o seu valor, e isso não difere muito ao falarmos em orçamentos para revisão.


Não existe fórmula perfeita, mas alguns tópicos são indispensáveis.


Separamos 3 para você.


Tópico 1: DESCUBRA A MÉDIA DO SEU SERVIÇO


Não existe tabela ou lei que estabeleça valores para os serviços de revisão no Brasil, por isso pode ser muito difícil chegar em números quando estamos falando desse serviço, ou seja, você não encontrará valor exato e precisará de um plano B.

Uma boa saída para esse pequeno empecilho é fazer uma pesquisa na web e entre colegas da profissão para descobrir quanto e como esses profissionais estão cobrando. Desse modo, terá uma ideia de quais são os menores e maiores valores e poderá tirar uma média que será seu norte no momento de estabelecer o seu preço. Caso fique em dúvida na hora de decidir qual valor adotar, que tal considerar sua formação, cursos que já se matriculou, quantidade de trabalhos que já fez e seu nível de experiência?


*A Langue possui um fórum para revisores e tradutores, lá você pode trocar ideias e conhecimento com outros profissionais da área, acesse: www.langue.com.br e vá até a aba fórum.*


Até aqui tudo bem.


Você pesquisou os valores de mercado, sabe quanto seus colegas cobram e descobriu que os valores podem ser cobrados por página, lauda, palavra. Há diferentes maneiras de cobrar por uma revisão, por isso você precisa descobrir qual método adotar, o que nos leva ao tópico 2.


Tópico 2: DEFINA SEU MÉTODO


Nesse momento, você precisará fazer uma pesquisa novamente, mas agora para descobrir se pretende cobrar por página, lauda, palavra... Analise quais são os prós e os contras de cada método, sempre levando em consideração os tipos de revisão que deseja trabalhar, isso porque alguns métodos podem ser melhores para alguns tipos de serviços e não tão bons para outros. Assim que colocar na balança e descobrir como irá cobrar, você pode começar a trabalhar para estabelecer quanto.


Tópico 3: SE POSSÍVEL, ANALISE O MATERIAL ANTES


Chegamos na etapa final, para facilitar imagine que você decidiu que cobrará por lauda, que sua lauda é a de 1.400 caracteres e que irá cobrar 25 reais cada uma, o problema é que ao receber o documento para revisar você percebeu que, por inúmeros motivos, o serviço sairá bem mais complicado e requererá muito mais tempo de trabalho do que havia imaginado no início. Vai ser difícil falar com o seu cliente e dizer que precisa receber um pouco mais que o valor combinado, porque não previu que o trabalho seria maior.

Por isso nosso conselho de número 3 ressalta a importância de se ter um valor fixo, mas avisa que é preciso trabalhar com a iminência de que em alguns casos esse valor poderá variar, isso porque cada trabalho é diferente e exige mais ou menos esforços que aquele que o seu valor cobre. Sendo assim, sempre que possível, dê uma olhada no material antes de acertar preços para mensurar seu grau de dificuldade, e por conseguinte, quanto tempo demandará. Caso isso não seja possível, trabalhe com valores que te manterão equilibrada em termos de tempo e dinheiro, para não sair no prejuízo.


DICAS EXTRAS:


1. Não se esqueça da taxa de urgência!

Ao estabelecer o número mínimo de antecedência com que trabalha, também avise que em casos em que o prazo é muito apertado será acrescido ao valor final uma taxa de urgência, já que

você terá que deixar outros trabalhos ou planos de lado para realizar esse serviço.


2. A Carol Machado, do blog Revisão para quê tem um livro feito especialmente para o revisor iniciante: Manual de Sobrevivência do revisor iniciante, lá ela propõe algumas reflexões que você deve fazer anterior ao processo de acertar valores, como além de descobrir qual unidade você vai adotar, seja página, lauda e quanto tempo você demora para revisá-las, saber quantas horas você gostaria de trabalhar por dia, quais são suas experiências, seu tipo de cliente, etc. Se quiser se aprofundar no assunto, o blog e o livro são ótimas opções.

23 visualizações