• Langue

O que é Simplificação Textual?


É muito comum nos deparamos com a estranha situação de conversar com alguém e a comunicação não atingir os resultados esperados. Muitas das informações ficam perdidas o que abre espaço para interpretações equivocadas, criando um ruído na comunicação.


Isso acontece porque normalmente existem diferentes tipos de ambientes na sociedade que tem uma linguagem e uma maneira de se comunicar específica. Já falamos um pouco sobre como essa comunicação varia dependendo do ambiente em que o falante está inserido, bem como demonstramos brevemente que a língua é construída socialmente. Caso tenha interesse leia nosso outro artigo Os riscos de uma tradução fria.


Cada um desses grupos formados na sociedade já tem em mente conceitos e informações conhecidas por todos dessa comunidade, o que gera um monte de pressupostos e ideias consolidadas em cada um desses indivíduos.


Porém, muitas vezes, precisamos dialogar com pessoas de outros grupos e que possuem uma bagagem de conhecimento diferente do nosso, o que pode gerar algum atrito na hora de se relacionar, diminuindo a eficiência da mensagem que você quer passar. É aí que entra a Simplificação Textual.


O que é a Simplificação Textual?


A simplificação ocorre quando o texto não consegue transmitir as informações necessárias para o entendimento do leitor. Então, com base nas informações de gênero textual, público e intenção, o texto é preparado e modificado para que o seu público possa compreendê-lo.

Vamos olhar mais detalhadamente cada um dos conceitos de circulação, público e intenção para entender como funciona o processo de realização desse serviço.


Gênero Textual


Sempre que consideramos escrever um texto pensamos, mesmo que inconscientemente, aonde esse conteúdo irá ser publicado. Isso porque cada canal de comunicação possui regras e formatos que dizem respeito às suas próprias estruturas.


Esse conceito é muito importante de ser considerado na hora da simplificação textual, pois pode alterar toda a compreensão do texto e, assim, comprometer a efetividade da sua comunicação, causando estranhamentos ou até mesmo a não compreensão do texto.


Público


Quando pensamos no processo criativo de um texto escrito, e até mesmo da fala, estudamos, mesmo que brevemente, a pessoa a quem esse material se destina. E isso não pode ser diferente quando falamos de simplificação textual.


Ao imaginarmos a pessoa que irá ler esse texto, também precisamos considerar quais são os conhecimentos que ela tem do assunto em questão, qual grupo da sociedade ela pertence, sua idade e outras questões que vão ser relevantes saber, não só para saber pouco mais sobre quem está em contato com o seu texto, mas como proporcionar maior proximidade entre escritor/redator e leitor.


Nesse caso, ter uma persona bem desenhada é o ideal para que se possa conhecer melhor seu cliente. Se tiver interesse em saber mais sobre a importância da persona, você pode acessar o nosso texto 5 passos para uma boa comunicação.


Intenção


E, por último, mas não menos importante, é preciso saber qual é o objetivo desse conteúdo que será adequado. Quando estamos inseridos em um ambiente mais comercial, propício para o marketing e vendas, não podemos deixar de pensar no retorno ou impacto que aquele texto irá causar.


A Simplificação Textual irá ajudar a direcionar o texto para os objetivos que você deseja alcançar, seja para aproximar sua relação com o cliente, induzir o leitor a realizar uma ação, fechar uma venda, etc. É necessário ter a intenção em mente, pois sem ela, corre-se o risco de causar efeitos indesejados com o texto ou ainda desperdiçar tempo e dinheiro adequando um conteúdo que não irá converter em resultados.


E como funciona a Simplificação Textual?


Com base nas informações coletadas a partir dos três conceitos abordados anteriormente: gênero textual, público e intenção, o texto é ajustado por um profissional que domine o idioma.


Essa adequação pode ser realizada em todos os níveis linguísticos: fonológico, morfológico, sintático, semântico, pragmático e discursivo. Ou seja, é a partir de um conhecimento profundo do sistema da língua é que é possível entender a funcionalidade de cada item lexical e, assim, simplificar o conteúdo de maneira que não perca a sua essência, mas que seja capaz de comunicar de maneira eficiente, traduzindo o texto para os mais diferentes tipos de linguagem e seus públicos.

15 visualizações