• Langue

8 dicas de como escrever para a internet


Um grande desafio, que a maioria de nós enfrenta, na hora de tirar os pensamentos da cabeça é transferi-los para o papel. Muitos sentem um tipo de bloqueio ou não sabem por onde começar a escrever, achando todo o processo muito confuso e pensando que o resultado final está muito distante do que foi imaginado. E não para por aí, também há dificuldade na hora de interpretar.


Um estudo realizado em 2016 diz que:

73% (dos brasileiros) sabem ler e escrever, mas 65% tem algum nível de dificuldade

Fonte: G1 Globo


Ou seja, apenas 8% dos brasileiros conseguem ler e interpretar qualquer tipo de texto, o que demonstra que devemos nos preocupar com a forma que escrevemos.


Nesse artigo, iremos te ajudar a criar um roteiro para que sua experiência ao escrever um texto seja muito mais fácil e prazerosa. Para facilitar, vamos dividi-los em duas partes. A primeira parte é sobre os aspectos externos à língua e a segunda concerne aos aspectos internos da língua portuguesa.


Vamos conferir?


Aspectos externos

1. Pesquise sobre o assunto


Essa dica parece óbvia, mas ainda é muito negligenciada na hora de produzir um texto. Acreditamos que apenas o que escrevemos já é o bastante, mas não é bem assim. As fontes de um texto são muito importantes para trazer veracidade ao texto e mostrar que o seu argumento possui o respaldo de outras pessoas que também pensam do mesmo jeito que você.


Além disso, ao pesquisar você estará evitando erros que podem prejudicar a recepção do seu texto, e se sentirá mais seguro ao defender seu ponto de vista.


2. Conheça os seus leitores


Um escritor escreve para alguém e esse alguém precisa ser sempre levado em consideração na hora de redigir um texto. O leitor é aquele que irá receber, ler, interagir, responder e compartilhar o seu texto. Porém, constantemente ignoramos a existência desse interlocutor ou simplesmente presumimos quem ele é a partir de pressuposições e achismos, sem chegar a saber de fato do que ele gosta, de onde ele é, quem o influencia e por quem é influenciado.


As informações sobre os seus leitores são importantes para que você saiba como conduzir as ideias, qual linguagem utilizar, ou seja, como redigir seu texto de maneira que eles compreendam e entendam seu ponto de vista.


Sem o conhecimento prévio sobre o seu interlocutor, você corre o risco de não atingir o seu público por não falar a mesma língua que ele, perdendo tempo e esforço com pessoas que não tem interesse em seu material.


3. Esteja atento para novas técnicas, ferramentas e tendências


Graças a internet, as coisas estão sempre mudando constantemente e, cada vez mais rápido. Novas tecnologias, ferramentas e conceitos vão nascendo e mudam a nossa percepção de como utilizar a internet. E, como redator de conteúdo para a web, é preciso estar sempre considerando novas plataformas de veiculação de texto, redes sociais e até mesmo ferramentas que ajudam a corrigir, escrever e diagramar.


Esteja sempre atento às mudanças que ocorrem na sociedade e que podem afetar os seus leitores.


Aspectos Internos


4. Trabalhe com esboços


Faça um esboço inicial, anotando as principais ideais que você pretende abordar e deixe uma estrutura pronta para usar quando for escrever o texto em si. Siga os três passos de Introdução, Desenvolvimento e Conclusão que você já deve ter ouvido nas aulas de redação do ensino médio. Esse modelo irá te ajudar a criar uma estratégia de escrita, sem divagar demais e já tendo em mente o conteúdo que será abordado no texto.


5. Utilize técnicas de SEO


O Marketing de Conteúdo pode ser um grande aliado para aprimorar processos de escrita, principalmente quando falamos em conteúdo para a web. Isso porque ele ajuda não só no ranqueamento de sites e blogs em mecanismos de busca como Google, Yahoo! etc., mas também porque melhora a legibilidade do seu texto, aprimorando a experiência do seu leitor e trazendo resultados mais positivos para você.


As técnicas de SEO são várias. Sugerimos que você faça uma boa pesquisa e estude bastante antes de colocar esses conceitos em prática, mas algumas dessas técnicas são: Trabalhar com títulos e subtítulos; destacar palavras-chave que aparecem ao longo do texto para chamar a atenção do leitor, utilizar imagens e recursos gráficos que deixem o seu texto mais atrativo, entre outros.


6. Use recursos linguísticos de acordo com o seu público


Nem sempre redigir um texto é tão fácil quanto parece. Um texto é composto não só por conteúdo, mas também necessita de conhecimentos sobre a estrutura e o funcionamento interno da língua. No entanto, para que esses resultados sejam positivos, é preciso unir esses conhecimentos linguísticos com as informações que você tem sobre seus leitores.


Os leitores possuem certas preferências na hora de se comunicarem, nesse sentido, é importantíssimo conhecer e utilizar essas preferências para melhorar a legibilidade do seu texto e propiciar a melhor experiência para o público.


Na hora de escrever, considere as seguintes questões:

Escolha de léxico - Saber qual é o tipo de vocabulário que o seu público prefere. Se forem leitores jovens, conhecer quais gírias e palavras eles utilizam em seu meio;

Sonoridade - A escolha de palavras dentro de um enunciado podem afetar a experiência do leitor. Evite deixar muito juntas as palavras que possuem sons parecidos uns com os outros;

Estruturas de sentenças e parágrafos - Sentenças muito grandes, cheias de pontuação como vírgulas, ponto e vírgula e dois pontos costumam ser evitados por redatores da web. Isso dificulta o compreendimento do texto, fazendo com que o leitor tenha que reler o trecho mais vezes, demandando mais tempo de leitura. Explore a melhor maneira para se comunicar, seja com voz ativa, passiva e outros recursos sintáticos.

Distanciamento e aproximação do texto: O uso de primeira pessoa é muito bom para expressar aproximação entre leitor e escritor. Já o uso de 3ª pessoa, tanto no singular quanto no plural, causam um distanciamento e é muito utilizado quando o objetivo do texto é ser mais imparcial ou neutro.

Você deve entender como o seu público quer ser tratado.

Marcas veridictórias: Ao escrever um texto, queremos que o leitor acredite no que estamos falando e o uso de citações diretas e indiretas é uma ótima opção para tornar o seu texto mais confiável. Assim, ao mostrar que outras pessoas dizem o mesmo que você, as chances do público se sentir mais seguro são maiores.


7. Revise


Revisar o texto é um processo imprescindível. Por mais que a gente tente ser atento, sempre há aspectos que acabam passando despercebidos pelos nossos olhos quando fazemos uma revisão pouco precisa.

Por isso, sugerimos que você faça a revisão, pelos menos, 3 vezes. Uma revisão não é simplesmente ler e reler o texto de maneira exaustiva. Cada vez que realizar a leitura você deverá se atentar a diferentes aspectos do texto.


Abaixo, acompanhe três revisões que separamos para você não deixar nenhum erro passar despercebido:

Erros gramaticais e ortográficos - Nessa primeira leitura, você simplesmente irá revisar todos os erros que forem de ordem gramatical (como equívocos de concordância, por exemplo), palavras escritas de maneira errada e erros de digitação;

Erros de coesão e coerência - Nessa segunda leitura, analise se a conexão entre parágrafos foi feita de maneira fluida e observe se o conteúdo está claro, seguindo os usos que seu público se identifica. Veja se o texto consegue transmitir a mensagem desejada. Não deixe parágrafos soltos, sem conclusões e mantenha um padrão de escrita;

Erros de diagramação - Para finalizar, se atente aos aspectos que dizem respeito ao visual do texto, ou seja, tamanho e tipo de fonte, cor, imagens, espaçamento, entre outros.


IMPORTANTE: Tente fazer uma revisão por vez, observando só os aspectos que competem aquele tipo de revisão. Caso contrário, você pode acabar se distraindo e deixando alguns erros de lado. Resumindo: Sempre mantenha o foco e a concentração nos aspectos de cada tipo de revisão.


8. Pratique constantemente


Para conseguir escrever textos de maneira mais rápida e fluida. é preciso que haja dedicação e prática. Não é da noite para o dia que você conseguirá criar uma rotina de produção de textos e também não é da noite para o dia que acertará em todos os aspectos. Por isso, pratique sempre para aprimorar os seus resultados.


Gostou desse conteúdo? Então leia mais em Por que suas estratégias de criação de conteúdo não funcionam e 5 passos para uma boa comunicação

6 visualizações